logo lider noticias

Convidados por Capitão Alden a prestar depoimentos comparecem à CPI do MST

Convidados por Capitão Alden a prestar depoimentos comparecem à CPI do MST

Secretário da SSP, Comandante-Geral da PMBA, Deputado do Mato Grosso e Procurador do Rio Grande do Sul foram ouvidos

A Comissão Parlamentar de Inquérito Sobre o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (CPI do MST) registrou nesta quarta-feira (16), os seus principais depoimentos das investigações. Todos os convites de autoria do deputado federal Capitão Alden (PL-BA), nesta reunião estiveram presentes na CPI do MST: Secretário de Segurança Pública da Bahia, Marcelo Werner; o Comandante-Geral da PMBA, Coronel Coutinho; o deputado estadual do Mato Grosso, Gilberto Cattani; e Procurador do Estado do Rio Grande do Sul, Rodinei Candeias.

A primeira rodada de depoimentos foi marcada pelas falas do parlamentar mato-grossense e do representante do gaúcho. “O Incra é o maior responsável pelo desmatamento do Brasil se alguém quer resolver a questão do desmatamento tem que primeiro enfrentar essa questão dos assentamentos os que se transformaram em um grande sistema de corrupção econômica e política. Os assentamentos em muitos casos são dominados pelo MST”, comenta Rodinei Candeias.

Com declarações fortes, o deputado estadual do Mato Grosso, Gilberto Cattani, não economizou em adjetivos ao MST. “Quando se fala sobre os programas onde o senhores visitaram aqui na CPI, um lugar que estão chamando de ‘centro de doutrinação’ existe um programa que foi falado ontem aqui inclusive o líder máximo do MST [João Pedro Stédile] se orgulhando de ter formado advogados num programa chamado ‘pronera’. Os nossos filhos são obrigados a estudar nas escolas onde são doutrinados pelo MST (…) A doutrinação de nossos filhos é para criar o que chamam de ‘Sem Terrinhas’”, afirma Gilberto Cattani.

O político baiano fez perguntas técnicas aos convidados e pode confirmar que o MST é uma organização de atuação nociva à nação. “A somatória dos depoimentos de ex-integrantes do MST, quando associamos com o que observamos nos assentamentos espalhados pelo Brasil durante as diligências e por fim as declarações dos convidados que estiveram aqui hoje, a conclusão é simples só atesta que o MST é um grupo criminoso”, afirma Capitão Alden.

Fechando os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito Sobre o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, os últimos ouvidos no dia de hoje foram da Bahia: Secretário de Segurança Pública da Bahia, Marcelo Werner e o Comandante-Geral da PMBA, Coronel Coutinho. Ambos mantiveram a postura de blindar a gestão petista estadual e negar as negligências de atuação para coibir as invasões tanto por parte do Poder Público Federal quanto local.

administrator

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *