logo lider noticias

Novas denúncias de assédio envolvem vereador do PT de Barra do Mendes

Novas denúncias de assédio envolvem vereador do PT de Barra do Mendes

Na última semana, uma série de acusações graves emergiram envolvendo o vereador Miguel da Canarina (PT), de Barra do Mendes com escândalo de corrupção onde o vereador oferece emprego e uma casa do programa MCMV a uma mulher em troca de favores sexuais, e ainda confessa a está mulher que tudo isso não iria demorar porque o prefeito Tonho de Napo seria cassado em no máximo 15 dias. Essa nova denúncia foi registrada na delegacia de polícia sob o número de boletim de ocorrência B.O. (00441044/2024), reforçando acusações anteriores de importunação sexual.

A denúncia foi registrada por uma figura pública da cidade, pois esta foi acusada pelo vereador e se sentiu ameaçada pelo mesmo. Ele ainda contactou seu chefe direto (secretário de cultura), impotando-lhe a autoria de um perfil de Instagram, que não a pertence.

A diretora de cultura do município, que optou por não ter seu nome divulgado, denunciou uma série de comportamentos inapropriados e ataques pessoais vindo do vereador Miguel. Em comunicado enviado a seus colegas e correligionários políticos, ela esclareceu que as alegações de envolvimento íntimo com o vereador, incluindo o envio de fotos e vídeos, são completamente falsas.

“Acusei o vereador Miguel da Canarina, do PT de Barra do Mendes, por importunação sexual e difamação. Por causa dele ter me importunado sexualmente via bate-papo, tanto no whats como no insta, fato esse que me fez precisar bloqueá-lo das duas redes. Além disso, no último dia 26, ainda recebi uma notícia péssima que ele estaria espalhando para as pessoas de minha cidade que havia mantido conversas íntimas com ele, através de um perfil falso. Insinuação falsa, na tentativa de me prejudicar moralmente e profissionalmente. Ele também insinuou, em conversas com o meu chefe de setor, que eu estaria mantendo tais conversas com ele e que haveria enviado até fotos e vídeos íntimos, ameacando inclusive expôr tudo isso”, disse a diretora ao Portal A TARDE.

Perseguição

A diretora afirmou que o vereador insinuou que ela teria utilizado perfis falsos para manter conversas íntimas com ele e que teria tramado contra ele em relação às acusações veiculadas recentemente na imprensa. Segundo a diretora, essas insinuações são infundadas e fazem parte de uma tentativa do vereador de desviar a atenção das graves acusações de assédio que pesam contra ele.

“Desde o começo que ele me procurou e adicionou nas redes sociais. Mantive conversas amistosas com ele, com muita educação e atenção, pois o mesmo falava que era meu amigo. Porém, com o passar do tempo, as conversas foram tomando um cunho assediador que me deixavam cada vez mais constrangida, pois não dei ao mesmo nenhuma intimidade. Ignorei muitas vezes, mas chegou um momento que ficou insustentável, pois ele fazia várias ligações consecutivas, que nunca atendia e sempre recusava. E notei que ele não estava mais respeitando quando falava claramente que não queria nada com o mesmo. Ele insistia nas investidas . Até que chegou ao ponto de precisar bloqueá-lo”, relatou.

A diretora ainda destacou sua indignação com a forma como mulheres são frequentemente objetificadas e suas capacidades reduzidas a mentiras com cunho sexual, usadas para invalidá-las e silenciá-las no meio político. Ela afirmou que, até pouco tempo, tratava o vereador cordialmente em suas redes sociais, mas sempre impôs limites às suas tentativas abusivas de importuná-la sexualmente. Após diversas investidas indesejadas, ela decidiu bloquear o vereador.

“Depois de tudo isso, veio a difamação. Porém, minha formação política não me permitiu ficar calada diante dessa situação absurda. E fiz um desabafo nas redes, por conta de todo constrangimento passado e para deixar claro que as insinuações que ele havia feito e as acusações contra minha pessoa eram mentiras, que acredito eu que tenham sido motivadas pelo fato de que eu não dei abertura e nem tolerei as importunações do mesmo”, disse.

A diretora de cultura, que também é mãe e artista, deixou claro que não permitirá que as mentiras do vereador manchem sua reputação e a imagem de outras mulheres que tiveram que suportar suas atitudes abusivas. Ela reafirmou seu compromisso com a luta contra o machismo e a objetificação feminina, destacando que “não é não”.

No entanto, ela reconhece os traumas deixados pelos episódios com o vereador Miguel da Canarina.

“Fiquei muito abalada nos dias , pois estava passando por um período de luto, tinha acabado de perder um ente querido. Acho lamentável que pessoas assim estejam compondo o partido, pleiteando cargos e ocupando espaços de poder. Cenário que faz com que certas pessoas acreditarem que podem abusar e ofender mulheres gratuitamente, sem que sofram as consequências”, acrescentou.

Enquanto as investigações sobre as denúncias contra o vereador Miguel da Canarina continuam, a comunidade de Barra do Mendes aguarda desdobramentos e espera que a justiça prevaleça.

Fonte: A Tarde

Foto: Reprodução/Redes Sociais

administrator

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *