logo lider noticias

Ricardo Rodrigues comemora aniversário de Bonito, Mulungu do Morro e Xique-Xique

Ricardo Rodrigues comemora aniversário de Bonito, Mulungu do Morro e Xique-Xique

O deputado Ricardo Rodrigues (PSD) congratulou-se com a população dos municípios de Bonito, Mulungu do Morro e Xique-Xique, que este mês, festejam o aniversário de emancipação política. No dia 7, Bonito comemorou 34 anos de autonomia. No dia 13, Mulungu do Morro e Xique-Xique, celebram o 34º e o 95º aniversário, respectivamente.
No documento, o parlamentar lembrou a história dos municípios aniversariantes, exaltou suas belezas naturais e espírito acolhedor, desejando felicidades à população das três cidades, “que recebem os visitantes com afeto, que enchem de orgulho seus filhos e todo o povo baiano”, colocou.

BONITO

Sobre Bonito, Rodrigues falou do seu começo, uma grande larga (campo aberto) onde tropeiros acampavam a caminho das Lavras de Lençóis. O lugar bonito, com vegetação exuberante e água de boa qualidade, deu origem ao nome de Larga Bonita e, depois, Bonito, que, mais tarde, deu nome ao rio que nasce nos arredores da cidade. Ex-povoado de Utinga, Bonito foi elevado à categoria de vila em 1970 e conquistou a emancipação político-administrativa em 1989.

MULUNGU DO MORRO

Em relação a Mulungu do Morro, também emancipado em 1989, o deputado mencionou o surgimento da localidade a partir do movimento dos tropeiros de Minas Gerais, quando alguns bois desgarrados foram encontrados no lajedo, onde havia muita água, plantas, animais selvagens e uma paisagem muito bonita.

O topônimo da cidade foi inspirado em uma árvore de folhas redondas e verdes, de sementes vermelhas de formato semelhante aos grãos de feijão, abundantes no local, e no Morro, “porque as pessoas de Morro do Chapéu apossaram de terras e foram vendendo para pessoas que chegavam em Mulungu”, explicou.

XIQUE-XIQUE

Outro município homenageado, Xique-Xique foi desmembrado de Jacobina por meio de decreto imperial, ganhando o título de cidade no dia 13 de junho de 1928. O nome se deu pela existência de grande quantidade de cactos na localidade situada na Mesorregião do Vale do São Francisco.

Segundo Ricardo Rodrigues, a história da cidade começa por volta de 1545, quando Duarte Coelho Pereira, donatário da Capitania de Pernambuco, chefiou a 1ª Expedição de Exploração do Rio São Francisco, partindo da foz com destino a nascente. “Na expedição descobriu um enorme arquipélago, uma ipueira circundada pelo arquipélago e uma lagoa que o levou a escrever, em seu Diário de Bordo, como sendo esta localidade um lugar mais do que chique, um lugar Xique-Xique”, relatou.

Sobre a economia local, o parlamentar destacou a criação de gado e a agricultura de subsistência e, depois, a descoberta de ouro e pedras preciosas, que alterou a rotina da localidade, atraindo aventureiros de várias regiões fazendo aumentar rapidamente sua população.

administrator

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *